T-SBUR2 Radar ADSB localizado em Uberaba alcance raio de 400 Km

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Você já pensou em vender energia?

É verdade que o investimento é alto quando a gente pensa em turbinar a sustentabilidade dos nossos lares incluindo painéis solares, placas fotovoltaicas, aerogeradores ou mesmo biodigestores. Mas uma resolução da Aneel pode dar um empurrãozinho nessa ideia.
Desde o final de abril, a Agência Nacional de Energia Elétrica permite que as sobras de energia renovável produzida localmente sejam repassadas para a distribuidora. O pagamento, no entanto, só pode ser feito em forma de desconto na conta de luz. O produtor ganha um crédito e tem até três anos para abatê-lo.
A política da Aneel não inclui incentivos fiscais ou isenção de impostos para quem compra equipamentos de energia renovável, como aconteceu na política alemã. Em 1990, a Alemanha aprovou uma lei que obrigava as distribuidoras de energia a se conectarem aos produtores locais e pagarem mais caro pela energia gerada por eles. Deu resultado: dados de 2010 mostram que 17% da energia consumida na Alemanha vem de pequenas centrais geradoras de energia renovável.
Será que essa ideia vinga no Brasil?