T-SBUR2 Radar ADSB localizado em Uberaba alcance raio de 400 Km

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Astronautas russos inexplicavelmente encontram plâncton no espaço

A agência de notícias da Rússia ITAR-TASS informou algo surpreendente nesta terça-feira (19). Aparentemente astronautas encontraram micro-organismos na parte exterior da Estação Espacial Internacional (EEI). Os cientistas russos estão impressionados com a descoberta e não sabem explicar ao certo como isso é possível.

De acordo com o chefe da missão orbital da EEI, Valdimir Solovjev, essas descobertas “são absolutamente únicas”. Ele diz que foram achados traços de plâncton marinho e partículas microscópicas na superfície do iluminador e que isso deve ser estudado daqui para frente.
Como é possível?
Atualmente, a agência espacial russa não pode explicar realmente como esse plâncton chegou no espaço. Eles já descartaram a hipótese de que espaçonaves estejam levando os micro-organismos para lá. A única explicação é que correntes atmosféricas possam estar levantando essas partículas do oceano até a estação, que fica 330 Km no céu.
“Plâncton, nesses estágios de desenvolvimento, podem ser encontrados na superfície dos oceanos”, explicou Solovjev. “Isso não é típico do [cosmódromo de] Baikonur. Significa que há correntes de ar sendo levantadas, as quais chegam até a estação e se acomodem em sua superfície.”
Muitas perguntas
Os micro-organismos foram encontrados em amostras coletadas pelos astronautas durante um passeio espacial. Eles esperavam achar apenas os contaminantes produzidos pelos motores no tráfego das espaçonaves.
Ainda não está claro se os organismos foram crescendo ou se multiplicando, mas, se confirmado, essa descoberta poderá dá ainda mais credibilidade à teoria de quem vida orgânica pode ser espalhada pelo espaço através das viagens de cometas e asteroides.
FONTE(S)
·         Sploid